quinta-feira, 19 de novembro de 2009

o Livro

Fizemos um livro. Não é difícil. Toda a gente o faz. Mas nós não nos limitamos a fazer um livro. Fizemos o Livro. É já considerado por muitos (nós, as nossas avós, pais e alguns amigos) a bíblia da gastronomia. Até há especulações que o Ferran Adrià, chef do melhor restaurante do mundo, pediu para traduzir para poder copiar na integra as nossas receitas. O facto de sermos nós a lançar estes boatos não quer dizer que eles sejam falsos. Quer sim, dizer que estamos cheios de orgulho porque o Livro está mesmo bom. Tão bom que já estamos a preparar um terceiro (como no cinema as "sequels" são sempre piores que a primeira, passamos directamente ao terceiro Livro).
Razões para comprar o Livro:
- Gabar-se aos colegas - "tenho o Livro e tu não"
- Óptima base de copos
- Encadernação está catita e fica bem na prateleira
- Tem páginas vazias que dá para tirar notas
- Armar-se aos amigos que vão jantar a casa - fiz este jantar a pensar neste Livro
- Leitura leve e fácil - óptima companhia na casa de banho
- Andar com ele na rua como um acessório de moda - dar ar de intelectual
- Óptimo desbloqueador de conversa quando a meteorologia esgotar o paleio "acabei de comprar o Livro e já sei cozinhar"
- Poder dizer mal de algo - "o Livro é realmente magnifico, mas eu conseguia fazer melhor"
- Fotos com nudez parcial (só para aumentar as vendas)

O facto do Livro desvendar os nossos segredos culinários, ter textos divertidíssimos e um grafismo espectacular por si só basta, para que qualquer pessoa com um QI acima de 89, o queira possuir.

Já saiu uma crítica na Gastronomec, a revista da maior tiragem do Zimbabué que diz: "o Livro, quem não tem é parvo!" Um pouco agressivo para o nosso gosto, mas se passou à censura do Mugabe é porque não pode ser assim tão mau.

1 comentário:

Alegna disse...

Comprei e amei... tudo, tudo, tudinho... :)