segunda-feira, 22 de março de 2010

Maria de Lourdes Modesto - Sul

Excerto de um artigo sobre a diva da gastronomia portuguesa, no jornal i (14, Novembro 2009):


"A diva da gastronomia portuguesa, Maria de Lourdes Modesto, 79 anos, não sabe quantas vezes contou esta história. Em 1958, quando se estreou na RTP, "num programa para mulheres", era proibido entrar nos estúdios. Mas nesse dia quebraram-se as regras. Acabou a emissão e estava rodeada de curiosos. Queriam saber quem era a "rapariga de olhos rasgados", como lhe chamaria o temido crítico de televisão Mário Castrim, que ousara chupar alcachofras em directo. No sossego do seu gabinete, o director de programas, Domingos Mascarenhas mandou saber quem era a novata - "é uma professora do Liceu Francês. Mas vai fazer outras coisas" - e decidiu no momento: "Não vai não. Só vai cozinhar".

Numa época em que "a televisão era toda engravatada", surpreendeu pela naturalidade. "Pelo factor descabelado", resume. "Não era como as outras. Não fui representar. Ia com a mentalidade de professora." E o público gostou. "Lá vem a 'alcachofrinha'", diziam-lhe na rua. Nos bastidores chamavam-lhe "maluca". Deixava cair tampas no chão e não se ralava. "Aparentemente", frisa, sentada de frente para as suas estrelícias, na casa da linha do Estoril. "Quem tem um jardim quer sempre despedir o jardineiro", desabafará. Sempre foi uma perfeccionista."

A nossa influência é a cozinha tradicional portuguesa, onde o produto é o continua a ser a base da gastronomia nacional. Já o dissemos antes e é importante repetir. Sem o trabalho da Maria de Lourdes Modesto, nem nós nem muitos poderia manter um espírito da gastronomia tradicional portuguesa.

O menu desta semana, baseado na Bíblia "Cozinha Tradicional Portuguesa" é:

Conserva de cenouras
Sopa de tomate
Carapaus alimados com batata doce de Aljezur
Xarém ou Xerém de Lingueirão
Lulas Cheias
Lombinho de porco, amêijoas e suas migas
Toucinho de céu com tangerinas de Tavira

3 comentários:

Marcelo Abate disse...

Hummm !!! Espero não esquecer de levar a agua da mesa 6 ... rs

Anónimo disse...

E que tal deixarem de discutir e atenderem o telefone? Ele é velhinho (ouvi dizer), mas podem lançar a moeda ao ar e ver a quem calha a heróica (ou fastidiosa) tarefa de atender!!!!!!!!!!!!!
Quero fazer uma reserva e tenho dúvidas.
Sei que peço o impossível, mas se me puderem contactar, já que o vosso telefone velhinho não aceita mensagens...bom tentar não custa e o não é garantido, por isso cá vai disto:
serrenata@hotmail.com

Luís Silva disse...

Desde já parabens pelo tema, pela criatividade na reformulação dos pratos mas também pela escolha do receituário da Maria de Lurdes Modesto que illustra muito bem as origens e tradições da nossa cozinha.

Fui e gostei. Gostei da filosofia do comer e calar. Gostei da dinámica da sucessão de pratos, dos tempos. O ambiente é descontraido e informal.

A qualidade e quantidade (característica que se tornou tabu, pois muitas pessoas acham indelicdo falar nisso) são correctíssimas, óptimas. De salintar os Carapaus Alimados e o Xerém de Ligueirão, soberbos, estavam um mimo, O Chef Cardoso trabalhou com primor.

A Taberna está de parabens generalizado.

Deixo o meu blog: carrotsandbasil.blogspot.com sobre culinária, para alguma consulta, referência e divulgação. Talvez possamos colaborar juntos um dia.

Cordial abraço.
Luís Silva.