domingo, 2 de outubro de 2011

A taberna adora o sporting.




Calma Benfiquistas! Parece uma heresia, mas não é. Passo a explicar:
Esta semana, dei por mim a torcer, pior, a sofrer no jogo Sporting – Lazio. Pela primeira vez na minha vida quis que o sporting ganhasse. Inicialmente, quando percebi este sintoma tentei, obviamente, recalca-lo. Numa segunda fase desculpei-o, pensando na aversão à Lazio, sendo o AS Roma o meu segundo clube preferido a nível mundial. Finalmente percebi: não!, eu estava a apoquentar-me pelo Sporting.
Apesar de anos a ser maníaco-depressivo nunca quis ir ao psiquiatra. Mas estes sentimentos de simpatia pelo Sporting fizeram-me logo marcar
uma consulta - com a saúde não se brinca. Fui também à Igreja, uma vez que agora deixei de ser ateu passando a acreditar fielmente em Jesus, para ser exorcizado e expurgado destas novas afeições.
Ou seja, nestes últimos dias, passei o tempo em consultas, sessões terapêuticas e a ser lavado em água benta (Água benta para mim é o vinho Benfica). Faz tanto sentido eu ter algum tipo de apego ao Sporting, como um parvo do Ku Klux Klan dos EUA em 1936 gostar de um negro.
Depois de todo este doloroso processo percebi que não gosto do sporting. Mas preciso dele. Preciso de gozar com o sporting. Preciso de competir com o sporting. Preciso da luta e pica que o sporting dava, para depois morrer na praia e ver o Glorioso ser o campeão.
Ao ver o Benfica voltar e estar perto de ser o verdadeiro Benfica, ainda sinto falta de qualquer coisa. Do sporting. Do de Lisboa, porque o de Braga não é a mesma coisa. Espero sinceramente que o sporting encontre o seu rumo e volte a ser um grande. É o sal no prato da vitória do Benfica.
Além disso, quando o Benfica joga, a taberna fica vazia e são os lagartos que me andam a sustentar. Por isso, força sporting. E não se esqueçam lagartos, serão sempre bem vindos aqui na taberna. Mesmo que ganhem um titulozito ou outro e saiam todos da toca, como há 10 anos.

Sem comentários: