quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Timeout sobre o livro


10 livros para comer com os olhos
A avaliar pelas estantes das livrarias, os livros de cozinha devem ter entrado definitivamente nas listas de compras dos lisboetas. João Cepeda avaliou todas as novidades da época e escolheu os melhores. Para um presente gourmet.
.
..
...

2780 Taberna 
Bertrand, 22,50€
Antes de mais, é preciso fazer aqui uma pequena declaração de interesses. Não que tenhamos uma participação no restaurante ou no livro, que não temos, nem muito menos uma relação de amizade com qualquer responsável do projecto (que nem sequer conhecemos). Mas é importante reconhecer, como alguns leitores já notaram, que esta Taberna nos seduziu. E sim, ajuda saber que tivemos um pequeno contributo no sucesso da casa, já que muitos leitores nos agradeceram a sugestão, mas nem é isso que nos convence. É outra vez a atitude: o humor, a presunção bem medida, o cuidado com tudo e a criatividade, que agora é gráfica além de gastronómica. Pode ser que algum dia esta gente nos desiluda. Mas não foi desta.
quarta-feira, 16 de Dezembro de 2009

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Outra crítica

Autor: Nuno Barros (Receitas)
Editora: Bertrand

Quem anda perto de mim não acreditará que estou a sugerir este livro. Como sabem não tenho por hábito sugerir livros de receitas. Neste livro encontramos muitas receitas, mas também outros textos que revelam o entusiasmo, as emoções, as provocações e as irreverências simpáticas deste restaurante, quer dizer, dos seus patrões.2780.jpg
E essa irreverência, saudável, que é bem recebida pelo pouco sentido de humor que caracteriza os portugueses, associado a muitas invejas e más-línguas. E começa com a capa, e a cinta de cobertura. E depois a grafismo de todo o livro que, se por um lado lembra os antigos cadernos de receitas de famílias que tantos segredos guardavam, por outro a paginação moderna e ousada transporta-nos para um conceito novos de livros de cozinha. Também são um caderno de cozinha (e lembro-me dos de Michel Bras), como que a descomplicar a linguagem complexa de alguma nova cozinha e experimental como o título indica.
São notáveis os editoriais do Bernardo na revista da “2780 Taberna impressa”. Esperemos que isto seja o aperitivo para as publicações futuras a editar.
Para além das receitas leiam algumas das emoções que pretendem transmitir aos clientes: “A preparação é feita com um carinho maior do que uma massagista tailandesa relaxa um ocidental. Toda a confecção é temperada com rigor. E finalmente, no empratamento, cada prato que sai da cozinha sai com dedicação, qualidade, beleza e sobretudo amor. Aliás, nós damos um beijo no rebordo de cada prato assim que sai da zona de empratamento”.
Para o Nuno Barros os cumprimentos pelas receitas, para a Lúcia Moniz aplausos pela montagem e edição de arte. Ainda para a Mafalda Esteves, José Moreira, Gastão da Silva Ferreira e Susana Andrade os meus parabéns.
Comprem já.
© Virgílio Nogueiro Gomes
http://www.virgiliogomes.com/livros/210-2780-taberna-cozinha-experimental

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Jantar Vínico - Monte Cascas



Monte Cascas, 'Casca Wines é o projecto pessoal de dois jovens enólogos que decidiram criar uma marca de vinhos portugueses de grande qualidade. Um projecto que apenas utiliza as melhores uvas de cada região e que procura reavivar as tradições únicas de Portugal'. - http://cascawines.com/

Um dia mandaram-nos uma boca: "Vocês não conseguem organizar jantares vínicos mais que uma vez por mês!". E nós: "Ai é?!?!?". Então vamos fazer um, em duas semanas seguidas só para eles verem quem é que domina. Depois do sucesso estrondoso que foi receber um dos enólogos Portugueses com mais experiência nacional e internacional, esta semana é exactamente para mostrar que o projecto de dois novos enólogos não fica atrás. Se no jantar com o Rui Renguinga tínhamos mais gente aglomerada à porta a querer espreitar, que a Kapital tinha nos anos 90 (por falar nisso, onde anda o Alex?), para o jantar com os produtors 'Monte Cascas', para manter a ordem, já contratámos os polícias que se afastaram quando viram o Cardozo ser agredido barbaramente em Braga.

Monte Cascas - nomeadamente, CASCAS, de onde nasceu a palavra CASCALE, conhecida actualmente como CASCAIS ou betolândia (é que aqui em St. Amaro de Oeiras não há betinhos, só gajos lixados!), é a terra destes amigos que decidiram seguir o sonho que tinham há muito: beber vinho! Depois de beberem muito, decidiram lutar pelo sonho seguinte: fazer vinho e bebê-lo. Mas fizeram tanto e tão bom que não conseguem bebê-lo todo e vão partilha-lo connosco e com mais alguns felizardos que venham jantar na taberna no próximo dia 17.

Menu 'Monte Cascas'

Abóbora Menina, Carnes Fumadas e espuma de requeijão de Seia.


Monte Cascas, Colheita Tinto 07, Douro.



Sonhos de Polvo e migas de couve de 'Fornalhas Velhas'.


Monte Cascas, Reserva Branco 08, Douro.



Bacalhau e seu Bóbó.


Monte Cascas, Reserva Tinto 07, Douro.



Lombinhos de Porco com o recheio do Perú, castanhas de Gralhas e maçã 'Bravo-Esmolfe' confitada.


Monte Cascas, Reserva Tinto 07, Alentejo.



Sobremesa,

Cheirinho do Natal Português.


Monte Cascas, Reserva Branco 08, Minho



Café & Mignardises



Menu Vínico 'Monte Cascas' - 35€ por pessoa.

17 de Dezembro, Início do jantar, 20.30m.


Reservas:

210098700

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Natal Taberneiro

Abóbora Menina, carnes fumadas e espuma de requeijão
Sonhos de Polvo, migas de couves de Fornalhas de Cima
Bacalhau e Bobó do mesmo
Lombinhos de porco com o recheio do perú, castanhas de Gralhas e bravo esmolve confitada

A sobremesa : Cheirinho do Natal Português

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Jantar Vínico - Rui Reguinga


Os abstémios têm desculpa de não se arrepiar quando ouvem este nome, mas os que gostam de uma boa pinga ao saber que que o Rui Reguinga vem à taberna, ficam mais histéricos que uma adolescente americana nos anos 60, quando soube que os Beatles iriam atravessar o Atlântico.
Por alguma razão, só agora divulgámos que o Rui vai estar presente na taberna no próximo dia 10 de Dezembro a apresentar o seu novo projecto "Latitudes". Com uma longa experiência profissional, com quase 2 décadas de existência, o Rui lança um projecto com a sua assinatura:

“LATITUDES o mundo á distancia de um bago”. “Projectos internacionais do enólogo Rui Reguinga”.

Para mais info: http://www.ruireguinga.com/

Receber na taberna um dos melhores enólogos nacionais, e já uma referência no panorama internacional,enche-nos de orgulho. E sobretudo mostra que não somos taberneiros apenas por sermos labregos, mas por sermos, cada vez mais, uma referência vinícola.

O preço do jantar é simbólico, tendo em conta os protagonistas, e fica a 35 euros com tudo incluído.


Menu Rui Reguinga

Cocktail de recepção.

Primeira Paixao Verdelho 2008 – Madeira
Trio Eléctrico (Bruschetta de tomate, pimento, queijo de cabra e esferificação de basílico.)

Fabre Montmayou Malbec & Touriga Nacional 2007 – Argentina
Feijoada de Búzios com Bacalhau confitado
A nossa 'Caldeirada Fragateira'

Flying Wines Syrah & Touriga Nacional 2008 - Projecto Rui Reguinga & FlyingWines
Pezinhos de Porco de Coentrada 'à lá Taberna 2780'
Arroz de Pato

Wenzel Beerenauslese Riesling 2007 – Austria

A maçã da Joana - Sobremesa a volta com as maçãs. (Clafoutis de maçã 'Bravo-Esmolfe', Sorbet de maçã 'Granny Smith', maçã 'Royal Gala' confitada a baixa temepratura, mousse de canela e mel e telhã de amêndoa.)


Cafés & Petit Fours.


Apoio: Rui Reguinga Enologia


Uma crítica da Nova Crítica

E obviamente, depois disto que escreveram, são considerados por muitos (nós!) o melhor site de críticas do mundo.

http://www.novacritica-vinho.com/forum/viewtopic.php?t=9086&sid=1c9c01cb7c4b7f660ba65217109129c0



A Taberna 2780 impressionou-me, a comida era boa (e sem isso não sobreviveria), mas tem algo que a distingue - a atitude. O trabalho é sério, muito sério. Mas a atitude é bem descontraída, o sentido de humor brilhante, a forma como se riem deles é uma lufada de ar fresco, e a forma como reconhecem que têm muito a aprender e que qprenderam com outros, é uma boa garantia de que vão evoluir.

Agora temos isto tudo em livro. Saíu há dias o livro da Taberna.



Um livro diferente, com uma aproximação que reflecte o que disse acima. Um livro que é bom ter porque tem receitas boas. Mas sobretudo porque nos permite trazer para casa um pouco da atitude que referi. Mas, mais do que isso, porque é muito bonito, muito original, porque se aprende, para além das receitas, porque nos faz rir. Um livro com personalidade! Um livro fantástico!

Parabéns ao Bernardo, parabéns ao Nuno, parabéns à Lúcia Moniz. Adorei!

Obrigada por reconhecerem que aprenderam alguma coisa connosco (Cooking.Lab) e nos terem dedicado um menu. Nem sabem quanto fico contente. Eu também aprendi muito convosco.

Como disse noutra ocasião:
Parabéns aos taberneiros e mantenham-se nessa linha, não se deixem levar pelo fácil.

E já agora acrescento:
Continuem sem se "levarem muito a sério". Só assim se pode fazer um trabalho sério e profundo.

Ah! Já me esquecia... espero que vendam muitos, muitos.
Mais do que a Bíblia Laughing
_________________
Paulina Mata
"Inquisitiveness was a key feature." Heston Blumenthal

Nova Crítica-Vinho & Gastronomia
Paulina Mata
Pedro Gomes

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Lançamento do Livro...

FOI UM FLOP!!!

Eu tive um pesadelo nessa noite, onde não iria aparecer ninguém e ficava sozinho a ver uma mesa vazia onde o Victor de Sousa, me mirava com um olhar fulminante a fazer uma apresentação a... ninguém.

O pesadelo concretizou-se. Não desta forma, porque apareceram cerca de 203 pessoas. Eu sei porque vieram umas 3 à frente e para aí umas 200 atrás. TV e imprensa lutavam por alguns segundos do tempo dos brilhantes autores. Tivemos até de separar 2 repórteres que quase chegaram às vias de facto. Houve uma corrida à banca para comprar o Livro com medo que ele esgotasse. E recebemos a notícia que se encomendou uma segunda edição porque a primeira, praticamente esgotou. O José Avillez fez uma introdução genial e o Victor de Sousa terminou com um ensaio brilhante. A Cooking Lab fez um granizado delicioso de vinho rosé. Os espumantes e vinhos foram eficientemente servidos à temperatura correcta.

Então o que é que foi um flop? Apenas 2 coisas que estragaram tudo.

Faltou o mimo, vestido de pierrot para chatear as pessoas e faltou o homem estátua com parkinson.
Para todos aqueles que organizam eventos, não confiem e nunca paguem a mimos e homens estátua antes do trabalho.
A todos os que vieram e compraram o Livro o nosso sincero e gigante obrigado. Para aqueles que vieram e não compraram o Livro um singelo obrigado (queriam um grande obrigado sem largar uns trocos, não?)

Junto envio foto dos 2 para que não os voltem a contratar.